Na terça e quarta tivemos a presença em campo das duas finalistas da última edição da Euro, e ambas equipes perderam. Na terça-feira a Espanha ainda começou ganhando, mas levou a virada da Croácia enquanto a Itália que entrou no campo classificada perdeu por 1x0 para a Irlanda na quarta-feira. Consequência de tais resultados: Itália x Espanha logo nas oitavas de  finais. Com tantos resultados assim numa competição tão equilibrada, acho que para tal ocasião o título de zebra não seria 100% perfeito.

Como boa parte dos jogos dos grandes, a Espanha começou atacando mais chegando a abrir o placar com Morata, porém não imprimiu o ritmo o seu ritmo de jogo comum, e apesar de estar com a maior parte do campo para trabalhar a Croácia, mesmo compactada, cresceu e empatou o jogo com Kalinic. No intervalo entre o empate e a virada, esta com gol de Perisic, a Espanha ainda perdeu pênalti com Sergio Ramos. Final: 2x1, coma Croácia passando em primeiro invicta e a Espanha apenas em segundo com seis pontos.


E para piorar para os espanhóis, Piquet fez um gesto "exótico" durante a execução do hino nacional espanhol. Não sabemos ao certo o porquê, mas há grandes chances de ser questões políticas envolvendo a questão separatista da Catalunha. Já a Croácia, mesmo sem Modric e Mandzukic mostrou que pode chegar mais longe do que pensamos. Encerrando a fala sobre este grupo, a Turquia venceu a República Tcheca no outro jogo por 2x0, contudo não conseguiu a vaga como terceira colocada.

Clique aqui e confira a análise sobre o Grupo E, de Itália e Bélgica.
Leia mais

O Grupo B onde os alemães possuíam na teoria supremacia foi bem apertado para a Seleção campeã Mundial. Na estreia, uma vitória não convincente por 2x0 contra a Ucrânia, pela segunda rodada empate sem gols contra uma Polônia que jogou melhor inclusive. E no encerramento, uma vitória magra contra a Irlanda do Norte, que também se classificou, por 1x0 gol de Mario Gómez. Isso mostra a dificuldade dos gigantes, em três jogos contra seleções mais fracas a Alemanha não conseguiu fazer a mesma quantidade de gols em relação a vitória sobre o Brasil na Copa.

A Polônia, que ficou em segundo por causa dos gols prós, conseguiu pela primeira se classificar para a segunda fase da Eurocopa. O time polaco ganhou da Ucrânia por 1x0 gol de Blaszczykowski (imagina esta criança tendo de escrever seu nome na escola). O time polonês chega como um dos mais fortes da competição e não me surpreenderia vê-los entre os quatro melhores da competição. Lewandowski, destaque do time, ainda não marcou na competição, e mesmo assim a equipe vem fazendo uma grande campanha, o que reforça o poderio da Polônia.


Encerrando este post, uma imagem que pode parecer uma provocação ao Brasil, mas não o é. Esta frase, manifestada ainda na primeira rodada, é uma forma dos norte-irlandeses mostrarem seu orgulho pela seleção do Mundial de 1982 que conseguiu uma classificação heroica para a segunda fase, considerando-a a sensação daquela Copa. Lembrando que o Brasil é muito conhecido por nesta Copa ter um timaço, mas não ter sido campeão, sendo eliminado na tragédia do Sarriá pela Itália, campeã daquele ano.
Leia mais

Neste Domingo começou a última rodada da fase de grupos da Euro 2016, e a anfitriã e uma das favoritas confirmou o primeiro lugar no grupo. A França em sua última partida nesta etapa empatou em 0x0 com a Suíça, que também garantiu a vaga como segunda colocada . A Romênia, que ainda tinha esperanças, acabou perdendo de forma surpreendente para a estreante Albânia.

A última partida entre franceses e suíços foi o 5x2 aplicado pelo time da Gália na Copa do Mundo de 2014. E mesmo com a base parecida, o placar reforça o equilíbrio impressionante presente nesta Euro entre times pequenos (consideraria a Suíça como média na Europa) perante os gigantes. E apesar do 0x0 ser bom para os dois, a partida não deixou de ser pegada, como ilustra bem a imagem inicial deste post, e não foram só as camisas que sofreram (Xhaka, Dzemaili, Embolo e Mehmedi tiveram seus uniformes de trabalho danificados), mas até a bola estourou na divida de Griezmann e Behrami, nesta partida mais movimentada pelos "causos" do que pelos lances.

Agora é tempo de analisar os prováveis adversários e em condições normais seria óbvio falar que a França chegaria mais longe que a Suíça, mas numa competição tão disputada e difícil como esta é muito arriscado afirmar isto com certeza, tanto que no primeiro jogo dos suíços afirmei que o time poderia perder a vaga para a Romênia devido as dificuldades perante a Albânia, mas vi que tava errado e que isto não era exceção e sim regra. Já a França pode contar com a torcida a fim de ter algo que desequilibre num torneio muito nivelado dentro do campo.

Placar surpreendente para um time guerreiro:


A Romênia por sua vez acabou decepcionando. Numa partida para garantir os três pontos e ter chances para avançar para a próxima fase, os romenos perderam para a Albânia dando adeus para a competição como lanterna do grupo com um ponto. O resultado foi 1x0, gol de Sadiku (o primeiro da seleção na Eurocopa). O resultado foi importante como recompensa pela festa da torcida e também para encerrar de uma melhor maneira uma campanha que de certo modo merecia mais devido as inúmeras dificuldades impostas pelos albanos (ou albanês como preferirem) a seus adversários.
Leia mais

Depois de um resultado ruim diante da Islândia, um empate em 1x1, Portugal vinha como favorito e pressionado enfrentar a Áustria, que se perdesse seria eliminada da competição. O palco do jogo foi o Parc des Princes, em Paris, porém diferentemente da alcunha de cidade luz, a partida foi apagada, um 0x0 melhor para os austríacos. Cristiano Ronaldo apareceu pouco, e em sua melhor chance, desperdiçou o pênalti mandando a bola na trave.

No início do confronto, a zaga austríaca estava batendo cabeça, dando bolada uma no outro, e Portugal não aproveitou. Depois de ajustada, não tivemos nenhum grande lance até o segundo tempo. Na última metade do duelo tivemos muitas emoções, com as duas equipes buscando o ataque, Portugal um pouco mais, todavia os esforços ofensivos não foram válidos encerrando a partida 0x0.

Cristiano Ronaldo, grande nome dos portugueses, teve poucas chances até o pênalti. Porém na cobrança, a bola que tornaria CR7 o primeiro jogador a balançar as redes em quatro Eurocopas, bateu na trave. O gajo até conseguiu estufar o gol adversário, mas no lance já havia impedimento. E novamente Portugal perde a chance de vencer, e agora corre risco sérios de ser eliminada logo na primeira fase. Já Cristiano Ronaldo vem fazendo uma competição muito fraca, podendo deixar até mesmo de quebrar recordes, algo que ele faz com facilidade no Real Madrid.

Empate para a tristeza de 300 mil


No outro jogo, a Islândia teve a sensação oposta do jogo de estreia (por isso o título oposto ao do empate contra os portugueses). Após abrirem o placar contra  Hungria com gol de Sigurdsson num pênalti duvidoso, a seleção do país nórdico sentiu a falta de experiência, com afobação quando tinha a bola não prendendo-a para deixar o tempo rolar, e num lance bobo, no cruzamento Saervasson empurrou contra as redes do próprio time, porém se o islandês não tivesse tentado salvo, de qualquer forma a bola entraria (a não ser que Bode mandasse um "Deivid").

No finzinho do jogo ainda teve uma falta na entrada da área que explodiu na barreira e no Eidur Gudjohsen chutou a bola que desviou e saiu para o término da partida. Com o empate os islandeses perdem a chance de assumir a liderança, ficando em segundo com dois pontos. A Hungria lidera com 4 e enfrenta Portugal na próxima rodada.
Leia mais

Grupo da morte assim podemos classificar na teoria o grupo E. Entretanto os italianos pouco se importam com isso, e após vencerem a Bélgica, cotada como uma das favoritas no torneio, a seleção Azzurra conseguiu mais um triunfo, dessa vez por 1x0 contra a Suécia, graças ao golaço do brasileiro naturalizado Éder. Com a vitória, a Itália garante a classificação antecipada para a próxima fase.

Se a tetracampeã Mundial está com 100%, os suecos estão em situação complicada, com apenas um ponto derivado do empate contra a Irlanda na estreia. O grande craque no time escandinavo, Ibrahimovic, não marcou nenhum gol. O atacante até "forçou" o gol contra de Clark no empate na estreia, porém não vem sendo decisivo. Zlatan até tem buscado a partida, e se esforçado, contudo com um time tecnicamente abaixo de sua qualidade, Ibra não tem tido oportunidade de mostrar 100% seu potencial, podendo cair logo na fase de grupos.

Lukaku lidera goleada


Se na estreia os belgas pararam na forte defesa italiana, na segunda partida contra a Irlanda o ataque da Bélgica foi às forras. Com dois gols de Lukaku, um dos artilheiros da competição, e outro de Witsel, a seleção belga aplicou a segunda goleada de uma Euro com poucos gols, a primeira foi da Espanha perante a Suíça. Com o massacre, a Bélgica pulou para a segunda colocação enfrentando a Suécia na última rodada; já os irlandeses tentam se recuperar contra a equipe mais forte do grupo, a Itália.
Leia mais

No clássico britânico, o País de Gales contava com sua estrela Gareth Bale para empatar ou talvez vencer a segunda partida, e o jogador do Real Madrid fez sua parte, abrindo o marcador após bela cobrança de falta, contudo os galeses não esperavam as mudanças do treinador inglês Roy Hodgson, que colocou Vardy, campeão inglês pelo Leicester, e Sturridge, que empataram e viraram o marcador dando a vitória para os ingleses, que se mantém de longe como a única grande potência da Grã-Bretanha.

A Inglaterra, que vinha do empate contra a Rússia, começou atacando mais contudo sem criar grandes chances. Gales apostava numa bola, esperança concretizada da cobrança de Bale, que diferente de outros jogadores como Ibrahimovic, vem cumprindo a expectativa sendo o grande destaque de sua seleção. Porém, o dedo do treinador apareceu sacando os dois autores dos gols do banco. Esse resultado é importantíssimo para os ingleses, aliviando assim a pressão tendo grandes possibilidades de passar como primeira dro grupo, já o País de Gales vem para um jogo interessante contra os russos.

Detalhe, se na primeira partida os ingleses levaram o empate na última bola do jogo, neste confronto o fim de jogo foi favorável para a seleção da Rainha, virando o jogo aos 45 minutos da segunda etapa. Esta Euro, além de uma média de gols não muito alta, devido aos diversos jogos disputados, cerca de 30% das vezes que a bola balançou as redes foram após os 42 minutos do segundo tempo, cumprindo a máxima do futebol que o jogo só termina quando acaba.

Brilha a estrela de Hamsik!


Do mesmo modo que Gareth Bale vem cumprindo seu papel de protagonista em sua equipe, Hamsik mostrou no último jogo contra a Rússia o porquê de ser o grande craque da Eslováquia. Depois da derrota para País de Gale, o time eslavo era cotado a ser carta fora do baralho, porém não contavam com a estrela do meia do Napoli que marcou um gol e deu o passe para Weiss balançar as redes na vitória surpreendente por 2x1 contra a Rússia, que descontou com Glushakov.
Leia mais


Repetindo o confronto da Copa do Mundo de 2006 onde os germânicos ganharam por 1x0, Polônia x Alemanha fizeram o jogo das vencedoras na primeira rodada. E se na segunda guerra mundial, os alemães triunfaram num primeiro momento contra estreita faixa encrava em seu território cujo nome era o corredor polonês, nesta quinta não causaram nenhum dano na "muralha" polonesa, pelo contrário, sofrendo mais perigos do que cirando oportunidade, todavia o resultado final foi o primeiro 0x0 desta Euro.

Se o ataque alemão, semelhante ao que atuou no 7x1 contra o Brasil, não conseguiu furar a defesa polonesa, Lewandowski, grande nome da atual seleção da Polônia, e companhia também não aproveitaram as chances. Neste jogo vimos mais uma vez uma equipe de pequeno/médio porte dando trabalho para as gigantes do futebol europeu, justificando assim o baixo número de gols.

Agora, as duas seleções com quatro pontos e com muitas possibilidades de passar vão para a última rodada com realidades distintas, a Polônia enfrenta a Ucrânia, cotada no início contra sua principal rival pela vaga, já os alemães enfrentam a Irlanda do Norte, que apesar de ser considerada a azarã do grupo, chega com possibilidades de classificação na última rodada.

Irlanda do Norte vence primeira


Estreante na competição, a Irlanda do Norte após quase empatar com os poloneses conseguiram vencer a favorita no confronto Ucrânia por 2x0 com direito até a chuva de granizo. Além do granizo, esta partida teve quebra de recorde, McGinn marcou o gol mais tardio em partidas sem prorrogação da Eurocopa aos 51 minutos da etapa final; McAuley abriu o marcador aos 2 minutos do segunda tempo. Esta vitória mantém viva ainda as chances norte-irlandesas de classificação e eliminam a Ucrânia.
Leia mais


Portugal e Islândia foram as duas últimas equipes a estrearem na Euro 2016. Muitos esperavam um massacre dos lusos com direito a show de Cristiano Ronaldo, afinal o adversário era estreante na competição e sem nenhuma tradição. Contudo numa bela partida, os islandeses mantiveram-se firmes na defesa, vacilaram no gol de Nani, porém recuperaram igualando o marcador com Bjarnason. Uma partida mágica para a pequena ilha de somente 300 mil habitantes, com 8% (26 mil) de sua população no estádio.

Diferentemente do que muitos pensam a partida, a Islândia atacava também, lógico com menos pressão que os portugueses. Cristiano Ronaldo não apareceu muito na partida, resultante da forte marcação irlandesa. No final do jogo a Islândia deixou seu ônibus e com uma disposição física segurou todas as investidas portuguesas. Resultado final, 1x1. Tristeza para os lusos e festa, muita festa para os islandeses, que veem uma chance, ainda que pequena de classificação. Agora vamos ver se a torcida dos islandeses continuaram forte, sendo o décimo segundo jogador de peso.

Camisa Azzurra pesou:


Antes de encerrar o post, gostaria deixar um breve comentário sobre um dos jogos mais esperados desta primeira fase, entre Bélgica x Itália. O jogo foi 2x0 com um certo equilíbrio. Esta vitória deixa a Itália numa situação excelente, afinal enfrentou a equipe cotada como uma das favoritas (não na minha opinião). Já a Bélgica corre apuros, uma vez que mais um tropeço corre o risco de ficar fora logo na fase de grupos, o que seria uma vergonha (bem menor pela qual o Brasil passou).
Leia mais

O primeiro jogo deste dia colocou frente à frente dois países que já formaram um dos impérios mais fortes da Idade Moderna (não simpatizantes da história me perdoe), o Império Austro-Húngaro. E não foi só na história comum que estes dois reinos foram marcantes, mas no futebol também. A Hungria dispensa comentários, em 1954 com Puskas, Kocsis, Hidegkuti perdeu a final da Copa do Mundo, mas ganhou lugar de destaque como uma das maiores seleções de todos os tempos. A Áustria, com menos esplendor, teve seu auge também em 1954, tendo ficado em terceiro naquela ocasião.

Falando diretamente do jogo de hoje, sem lembrar de nenhum modo as equipes em seus respectivos ápices, foi muito similar à maioria das partidas até então desta Euro, com um time indo para o ataque e outro jogando fechadinho. A Áustria como era de se esperar começou o jogo pressionando. Alaba, destaque do Time Maravilhoso, logo no primeiro minuto mandou a bola na trave, dando a impressão nítida de vitória da Áustria. Contudo, conforme decorreu o primeiro tempo a Hungria começou a gostar do jogo avançando mais para o ataque, porém estava muito difícil das duas equipes criarem boas jogadas, tanto que as boas oportunidades saíram em lances de velocidade com enfiadas de bola.


No segundo tempo, a Hungria já jogava de igual para igual abandonando sua postura altamente defensiva, e numa jogada de tabela entre Kleinheisler e Szalai os húngaros abriram o marcador. Tal troca de passes foi algo raro de acontecer na partida. A partir daí a Áustria se desconstruiu e mesmo se lançando para o ataque não conseguiu balançar a rede do oponente. Situação piorou com a expulsão de Dragovic por reclamação. Os húngaros mantiveram seu padrão de jogo, e aproveitaram a vantagem numérica e num contra-ataque violentíssimo Stieber partiu em velocidade e mandou de cobertura num gol estilo Lionel Messi.
 
Esta vitória deve ser muito comemorada pelos húngaros ainda mais num grupo com Portugal como favorito. A Áustria se encontra em situação complicada, mas não está totalmente fora do confronto. Um dos principais responsáveis pelo triunfo húngaro foi o goleiro Király (40 anos e 74 dias) que blindou o gol no início da partida e de quebra bateu o recorde que pertencia ao alemão Lothar Matthaus (39 anos e 91 dias) como o jogador mais velho a disputar uma partida de Eurocopa. Agora é esperar para a próxima rodada, mas creio que pelo menos uma das partes do ex-império passe de fase, mas será muito difícil que qualquer uma delas avance muito longe na competição.
Leia mais

Uma campanha para se esquecer! Com um empate contra o "poderoso" Equador, um 7x1 contra o Haiti, a Seleção Brasileira perde para o "gigante" Peru, fato que não acontecia desde 1985, e está fora da Copa América na fase de grupos, algo que não ocorria desde 1987. O jogo foi roubado, como será destrinchado a seguir, mas de qualquer forma foi uma vergonha da nossa Seleção, que hoje não passa de uma média equipe.

Este era o grupo mais fácil dos quatro desta Copa América. O Brasil deveria passar em primeiro e também com 100%, acabou empatado com o Equador sendo ajudado pela arbitragem. No segundo jogo, um 7x1 que dava a nossa Seleção a vantagem do empate para se classificar em primeiro, e tal comodismo ajudou na derrota desde Domingo. Adversário fraco e vantagem do empate: estava tudo certo para uma partida sem problemas.

O início da partida foi até bom para o time brasileiro, mesmo com alguns desfalques. Tomando iniciativa e jogando contra um Peru recuado, nossa seleção tinha dificuldades na criação das jogadas, porém não levava sustos. Contudo conforme o tempo passava, e precisando da vitória, o time peruano foi crescendo na partida até que num erro de passe, cruzamento na área e Ruidiaz praticamente livre empurrou para dentro das redes, o detalhe é que o gol foi com a mão.

Muita confusão, reclamação assídua dos jogadores brasileiros e um árbitro, que havia deixado de dar dois pênaltis claros antes, um para cada time, completamente perdido assim como seus companheiros. Acabou que apesar da confusão o juiz uruguaio Andrés Cunha ratificou seu erro. Aí faltavam apenas oito minutos, tempo não suficiente para um Brasil acomodado à igualdade no placar reagir para se manter vivo na competição.


Sabemos que o jogo teve a falha crucial do homem do apito, mas cá entre nós, vergonha mesmo é a Seleção Brasileira empatar com o Equador e perder para o Peru, mesmo sem Neymar. Em outras épocas, uma vitória por 2x0 já era considerado crise, enquanto hoje um empate já é para se sentir aliviado. A partir da Copa de 2010 o padrão da Seleção foi caindo, tendo um breve engano na Copa das Confederações em 2013, visto que os adversários considerados de elite (como a Espanha campeã da Euro e do Mundo e a Itália vice tendo eliminado a Alemanha em 202) foram maus no Mundial aqui em nosso território.

Parece que o 7x1 sofrido contra a Alemanha não foi suficiente. O único nome cabível para assumir a seleção hoje parece ser Tite, e caso não seja ele, será necessário abaixar a bola e chamar um treinador de fora para dar um jeito no Brasil que está indo de mal ao pior. A menos de dois meses temos as Olimpíadas, mas aí é outra realidade, porém que pode ser afetada pelos reflexos deste momento pífio. Sinto uma certa tristeza por ter perdido times que jogavam com garra, honrando a camisa brasileira tornando-a a mais pesada do futebol mundial, tão pesada que os jogadores atuais não conseguem mais carregá-la. Brasil já deixou de ser o país do futebol até do continente americano.
Leia mais